quarta-feira, 13 de outubro de 2010

não venha, não vá


.
levaria aconchego
nos braços apertando
apertado seu corpo
em delicada atenção
nosso momento de sonhar
rir das tempestades
e por instantes nos salvar
do tempo igual
que em igual se muda
levaria do horizonte
o sol nascendo
em minhas roupas
e os olhos prontos
para o seu olhar
dentro dos passos
de afinal chegar
limparia a poeira
das lonjuras de mim
mataria a saudade
enroscada sem fim
levaria meu cheiro
envolto na manhã
pra você cheirar
entre um beijo e outro
do tempo em migalhas
que podemos nos dar

mas vem dita a palavra
como mãos vazias
o instante está
não venha, não vá



MQ

.

8 comentários:

  1. aragaofatima@gmail.com13 de outubro de 2010 16:36

    Ola Marcos, como foi de Alter do Chao? olha finalmente consegui colocar teu blog nos meus preferidos, como sou idioinformatica ,meu filho em Bel me ajudou...estive com Carmen Nazare, abracao. Fatima

    ResponderExcluir
  2. aragaofatima@gmail.com13 de outubro de 2010 16:37

    em tempo: adorei o "nao venha, nao va"...

    ResponderExcluir
  3. Esse título sugere algo mais...
    e o resto é simplesmente lindo.

    PS: roubei estas palavras também pra mim, pois preciso usá-las no dia que virá__Não venha , não vá__ Lindooo!!!

    Mosquera

    ResponderExcluir
  4. Esse título sugere algo mais...
    e o resto é simplesmente lindo.

    PS: roubei estas palavras também pra mim, pois preciso usá-las no dia que virá__Não venha , não vá__ Lindooo!!!

    Mosquera

    ResponderExcluir
  5. Gostei muito de "não venha, não vá"!!
    Ah, essa contradição que existe
    em todos nós...
    E as migalhas do tempo que 'ainda'
    podemos nos dar...ou o tempo em
    migalhas..ou...

    Meu carinho amigo..ou... meu carinho, amigo!

    ResponderExcluir