quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

sem promessas

.
sem promessas

a liberdade
esteve entre nós
na madrugada

casual
perfumou nossas bocas
e muitos gestos

sensual
guiou nossas mãos
lambendo sedenta
cada instante

pulsando
instilou seu corpo no meu
e o meu no seu

sem promessas
nos pertenceu
e foi embora
deixando na manhã da realidade
um sabor de volúpia
recendendo de nossas roupas
e um cheiro de amor
calando nossas verdades


MQ
.

2 comentários:

  1. É o poeta Quinan...
    Encharcado de sensualidade!

    ResponderExcluir
  2. Querida amiga,

    Poema antigo, sensualidade sem idade...

    Te abraço.

    ResponderExcluir